quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

A Flor do Centro do Jardim
Cercada do orvalho da madrugada
Entre cores e perfumes diversos
Espinhos, contratempos e mundos adversos
Lá estava ela no centro do jardim
Da minha janela eu tinha certeza
Ela renascia a cada manhã só pra mim,
Eram tantas que existiam
Cada uma em seu lugar
Cada uma perdida em seu sonho
Sonho louco de amar,
Todos os dias eu a via cheia de esperanças de ser feliz
Pura e presa na simplicidade de sua raiz
De longe ela sonhava e de longe ela sorria
Se não tivesse a chuva na madrugada
O que a refrescava era a minha lagrima fria,
E quando a noite passava
Já sentindo que o amor não vem
Ela se aquecia ao sol
A espera do sorriso de alguém,
Era a flor mais linda
E eu sei que era para mim
De pétalas em seda coloridas
Perfume inigualável na maciez de sua pele
Bem no centro do meu jardim. 
 
By Everson Russo
evrediçõesmusicais©®
Direitos autorais reservados lei 9.610 de 19/02/98

6 comentários:

Olhos de mel disse...

Amigo querido; se o último barco do planeta, fosse ornado com de rosas e esses poemas doces e lindos, que aqui leio, seria um verdadeiro presente de Deus.
Beijos

Bandys disse...

É a esperança de cada renascer... o desabocher de uma flor que vem pra nos fazer feliz.

Eversom, abrigado pelo seu carinho sempre. Pelas mensagens tão adoráveis de ler.

Vamos nesse trem, ser feliz e aproveitar o que é de bom nessa vida.

Beijos e uma noite cheia de pinguinhos de amor.

Cristina disse...

Me quedé fascinada!
Una belleza mi querido Everson,te dejo un fuerte abrazo.
Bonito miércoles!

fus disse...

Sabes relatar la belleza de una flor con tus versos y crear un mundo màgico que fascina. Enhorabuena

un abrazo

fus

LUZ disse...

Oi, querido Everson!

Deliciosa e inteligente metáfora você fez com seu poema.
A rosa, ela, sua amada está bem no centro do seu coração.
O poema, todo ele, é um jardim de sentimentos.

Excelente quinta.
Beijos da Luz, com muito carinho.

Giancarlo disse...

Sempre molto belle le tue poesie! Buona giornata...ciao